O Médico E O Monstro (e outras histórias), Robert Louis Stevenson

Olá, voltei! ʕ •̀ O •́ ʔ Agora, venho com minha opinião sobre este livro que terminei há pouco tempo e me agradou, em parte. Mas e essa capa que parece feita no paint?! 

Informações:
Título:                       O Médico e o Monstro
Subtítulo:                  Dr. Jekyll e Mr. Hyde
Gênero:                     Terror
Editora:                     L&PM Pocket
Ano:                          2002
Páginas:                    112
Autor:                       Robert Louis Stevenson
Sinopse: As suspeitas começaram quando Mr. Utterson, um circunspecto advogado londrino, leu o testamento de seu velho amigo Henry Jekyll. Qual era a relação entre o respeitável Dr. Jekyll e o diabólico Edward Hyde? Quem matou Sir Danvers, o ilustre membro do parlamento londrino? Assim começa uma das mais célebres histórias de horror da literatura mundial. A história assustadora do infernal alter ego do Dr. Jekyll e da busca através das ruas escuras de Londres que culmina numa terrível revelação. O escocês Robert Louis Stevenson é considerado um dos maiores escritores da literatura mundial. Inexcedível no gênero de romances de aventuras, é autor de A ilha do tesouro, um dos livros mais célebres de todos os tempos (1883). O médico e o monstro é um clássico entre os clássicos de horror e mistério. Stevenson escreveu ainda O raptado, As aventuras de David Balfour, O morgado de Ballantrae, entre outros.

A estória de O Médico e o Monstro é uma dos trabalhos mais famosos do autor, o tema inspirando inúmeras obras. Eu estava curiosa para conferir e me envolvi completamente!
O protagonista é, na verdade, o advogado Mr. Utterson, que um dia sabe, por um amigo, do estranho Edward Hyde, que parece ser o mal em pessoa, provocando grande desconforto inesquecível em quem o conhece.
Surpreende-no saber que Hyde, uma pessoa tão selvagem, é estimado por seu amigo, o amigável e bondoso Dr. Jekyll. Ele tem até um testamento peculiar nas mãos do advogado, onde o principal herdeiro é Hyde.
Este conto me prendeu e me instigou muito, não sentia vontade de pausar a leitura para nada, é realmente intrigante. Também, assustador como o autor joga com o lado bom e lado mal que cada um de nós possui.
Acabou de uma forma súbita, de certa forma, esta estória, mas nada que me deixasse insatisfeita. Apenas é intrigante demais para se desapegar, sabe? HAHA
Bom, essa versão que li, online, traz mais outros dois contos: Olalla e O Tesouro de Franchard. Como gostei muito de O Médico e o Monstro, aceitei de bom grado essa "surpresa" e me pus a ler. Só que, infelizmente, não me agradaram tanto estes dois contos.
O primeiro, Olalla, trouxe uma narrativa extremamente descritiva e cansativa. Eu lia, lia e lia, e não conseguia me prender à estória. Era sobre um general que é recomendado, por seu médico, a descansar na casa de uma certa família, no interior. Lá ocorrem incidentes inusitados, e há um quadro no quarto do hóspede que o intriga muito. Na verdade, eu não sei o que pensar desse conto, não sei exatamente como classificá-lo.
Pensei que iria seguir uma linha sobrenatural, mas não houve nada concreto no fim. Houve tanto mistério para não haver uma grande revelação (e eu só aceito isso nas obras do Junji Ito!). Só um conjunto de personagens esquisitos e um romance (se é que posso chamar assim) mais difícil ainda de engolir.
O terceiro conto, O Tesouro de Franchard, mostrou que, realmente, não haveria, neste livro, outra leitura como a primeira estória. Esta traz como protagonista um doutor que fica intrigado por um garotinho trabalhador. A narrativa não é enfadonha como o conto anterior, mas também não chega a ser interessante.
O personagem é chato com vontade mesmo, e demora bastante para o enredo de verdade aparecer, o tal tesouro. Não foi uma estória que eu amei, mas tenho de admitir que o desfecho trouxe umas ótimas reflexões, então não é uma perda de tempo.
Enfim, eu acho que me decepcionei mesmo com estas outras estórias porque pensava que seriam todas com a mesma essência. Isso atrapalhou bastante e, se fossem livros independentes, não indicaria os outros dois.

Avaliação:
★ ★ ★ ☆ ☆

✨Bônus✨